segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

MEU CORAÇÃO - Félix Araújo



Meu coração, este país tristonho,
Em que Deus periclita e o Inferno avança,
Tem as florestas negras do meu Sonho
E as cordilheiras verdes da Esperança.

Doira-o, às vezes, um clarão risonho:
- É a crença morta que ressurge, mansa...
Mas sobrevém o temporal tristonho
Da Dúvida cruel brandindo a lança.

Brilham, no céu, os astros em delírio.
No meu país, de onde fugiu a calma,
Brotam, chorando, as rosas do martírio.

Maldito coração, que Deus te açoite!
De que valem os sóis que tenho n'alma
Se existe em mim a maldição da Noite?

_______________________________

Título: Meu coração
Autor: Félix Araújo

Poema retirado do livro Obra poética (Ed. da UFPB, 1975)

Nenhum comentário:

Postar um comentário