segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

OS SILENTES BARQUEIROS - Hildeberto Barbosa Filho


O rio é uma espada
de espelhos espalhada
pela pele da terra.

O rio é uma flecha
que sangra os lajedos
do tempo.

O rio é um alaúde
que tece acalantos
ao vento.

O rio é um adágio
que embala de cismas
os silentes barqueiros.

_______________________________

Título: Os silentes barqueiros
Autor: Hildeberto Barbosa Filho

Poema originalmente publicado no livro Ofertório dos bens naturais (1998)

Nenhum comentário:

Postar um comentário