quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

DESENCONTRÁRIOS - PAULO LEMINSKI


Mandei a palavra rimar,
ela não me obedeceu.
Falou em mar, em céu, em rosa,
em grego, em silêncio, em prosa.
Parecia fora de si,
a sílaba silenciosa.

Mandei a frase sonhar,
e ela se foi num labirinto.
Fazer poesia, eu sinto, apenas isso.
Dar ordens a um exército,
para conquistar um império extinto.

_______________
Título: Desencontrários
Autor: Paulo Leminski (1944 – 1989)
Naturalidade: Curitiba - PR
Obra: Toda poesia (Companhia das Letras - 2013)

Nenhum comentário:

Postar um comentário